quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Imagens da cidade em preto e branco

A Prefeitura de São Bernardo lançou a pouco tempo atrás um site com fotos antigas da cidade, o Memória e Acervo Online.

E algo que nos interessa muito são fotos antigas da Rua Marechal Deodoro em 1967, tempo que ainda não havia sido contruído a Avenida Brigadeiro Faria Lima e os ônibus passavam pela "marechal". Entre elas muitas curiosidades.


Clique na imagem para ampliar

Essa é a primeira foto tirada na Marechal esquina com a rua Dr. Flaquer, tem como destaque um Caio Jaraguá da Expresso S.B.C. (famoso amarelinho). Essa empresa fazia até metade da década de 1970 as linhas que iam para São Paulo (bairro do Glicério). No letreiro lê-se "SP via RUDGE RAMOS".

Há um outro ônibus escondido atrás do caminhão Chevrolet Brasil 61, da mesma empresa. Mais atrás, em frente aonde é hoje a Câmara de Cultura Antonino Assumpção, um ônibus da Auto Viação ABC, que ainda faz as linhas que ligam São Bernardo a Santo André. Parece ter sido ali o ponto de ônibus na Marechal.

 Há um outro ônibus atrás que não consegui identificar a empresa.

Foto de Camila Taurizano pertencente ao acervo da Seção de Pesquisa e Documentação.


Clique na foto para ampliar

Aqui nesta foto tirada do mesmo local, vemos dois ônibus da mesma empresa com pinturas diferentes. São ônibus da Auto Viação ABC. No blog publicamos duas fotos coloridas de ônibus desta empresa. Elas estão aqui. Atrás deles tem um ônibus que não consegui identificar a empresa.

Mas a raridade está lá atrás no ponto de ônibus. Um FNM Alfa Romeo D-11.000, conhecido CAIO Papa-Fila. Era nada menos que um caminhão (FNM) com a carroceria como se fosse de um ônibus (CAIO). Tinha esse nome pois quando ele surgiu ainda rodava as antigas jardineiras que não levavam muitas pessoas e assim mantinham muita gente nos pontos. Ele transportava mais gente e quando parava nos pontos ele simplesmente esvaziava o mesmo. Agora a empresa eu não sei qual é, pois a única que tenho registro de utilizar este tipo de veículo era a Expresso S.B.C.  mas a pintura é muito diferente da Expresso, acho que essa empresa fazia linhas municipais, já que na época esses veículos já não eram muito utilizados.


Clique na foto para ampliar

Aqui eu não consegui reconhecer muito, só o da Viação Diadema entre os dois ônibus. Aqui aparecem o Cine São Bernardo que até bingo virou, mas esta edificação foi abaixo e deu lugar ao Marechal Plaza.

Todas as fotos pertence ao Memória e Acervo Online.

Em breve voltaremos com mais.

sábado, 1 de novembro de 2014

Foto - Paço Municipal em 1987

Como é difícil conseguir fotos antigas de S.B.C., tudo que é encontrado já faço questão de postar aqui. E tem uma que postei aqui que eu fiz questão de repostar para mostrar alguns detalhes sobre o Paço Municipal de São Bernardo do Campo em 1987, na época de construção do terminal Metropolitano e do corredor de trólebus. E há muitas coisas nessa foto que hoje em dia nem exitem ou não existia.
Na foto, há números sobre cada local que destacarei em texto logo abaixo dela:


Clique na foto para ampliar.

1- Conjunto Anchieta
2- AGESBEC - Armazéns Gerais e Entrepostos São Bernardo do Campo (antiga ELNI)
3- Prédio residencial.
4- Terreno vazio, hoje fica a agência do Itaú.
5- Edifício Senador - no térreo funcionava a agência do Banco Real
6- Hotel e restaurante Binder. Na época ainda funcionava, hoje fechado e abandonado.
7- Obra no Paço Municipal em frente a entrada.
8- Antes dessa foto, na década de 60, era onde ficava a escola Wallace Simonsen, que já tinha se mudado para onde ela está até hoje, atrás do Pavilhão Vera Cruz. Hoje funciona a secretária municipal de segurança urbana e ao lado a sede da Guarda Civil Metropolitana.
9- Mercado Municipal Central, depois chamado de Hélio Masini. Hélio Masini foi um comerciante do Mercado Central que foi morto no local de trabalho durante um assalto no dia 16 de fevereiro de 1987, época da foto. Antes do mercado, funcionou o supermercado Morita. Hoje o mecado municipal não funciona mais. Está sendo erguido no local o Museu do Trabalho e do Trabalhador. O nome Hélio Masini foi dado ao mercado municipal de Rudge Ramos em 2005.
10- Primeiro MacDonald's de São Bernardo, que hoje não está mais no local. Na época ele foi construído no estacionamento do antigo Center Shop São Bernardo, hoje Shopping Metrópole. No local hoje está em obras.
11- Antigo terminal rodoviário.

Até breve.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Atualização - 28/10/2014

Atualizado post sobre a Expresso S.B.C. - Linhas intermunicipais com foto de um Caio Jaraguá de 1973, que fazia a linha São Bernardo - Bairro dos Casas / São Paulo - Parque Dom Pedro II via Anchieta. Foto Publicada primeiramente pela página São Bernardo do Campo.info

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Atualizações - 23/10/2014

Atualização de informações e adicionadas duas fotos no post Riacho Grande

Em breve mais atualizações.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Expresso Brasileiro


Quem se lembra desses ônibus fazendo a linha Rodoviária do Tietê/São Bernardo. Ela também fazia viagens para a Baixada Santista e Rio de Janeiro.

Apesar de não estar mais no ABC, mas ainda ter linhas no Terminal Rodoviário aqui de S.B.C. A Expresso Brasileiro tem grande participação na história do transporte urbano de São Bernardo.

O Trecho a seguir foi extraído da página da Expresso Brasileiro na Wikepedia:


A Empresa foi fundada em outubro de 1941 pelo imigrante espanhol Manoel Diegues para fazer na época a ligação das cidades de São Paulo até Santos, na década de 1950

Expresso Brasileiro era a maior empresa de ônibus da América Latina e até teve sua própria revista, a Viajando que era uma revista bimestral e tinha tiragem de mais de 20 mil exemplares por edição, na década de 1960

Manoel Diegues estava passando por dificuldades financeiras e por isso vendeu a Expresso Brasileiro em 1966 para a Família Romano que era liderada pelo empresário Antonio Romano que a partir dai começou a crescer bastante e recuperar o espaço perdido do inicio dos anos de 1960, a Família Romano foi proprietária da Expresso Brasileiro até 11 de novembro de 2011, quando o Grupo Santa Cruz adquiriu a empresa, após a compra, o Grupo Santa Cruz investiu R$ 18,9 milhões na renovação da frota e também criou um nova pintura e identidade visual para a empresa.

A empresa opera 6 linhas atendendo as cidades de São Paulo, Osasco, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André no estado de São Paulo e Rio de Janeiro, Nova Iguaçu e Duque de Caxias no estado do Rio de Janeiro. As antigas linhas litorâneas da empresa foram vendidas para a Viação Cometa, do Grupo JCA, permanecendo apenas com as linhas que interligam os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

História

A Expresso Brasileiro já atuou no transporte urbano de algumas cidades na grande São Paulo, em 1970 fundou na cidade de São Bernardo do Campo a Viação Riacho Grande para fazer linhas municipais e intermunicipais na região do ABC, na época e empresa foi pioneira no ABC para fazer trajetos de difícil acesso, em 1985 a Expresso Brasileiro vendeu a Riacho Grande ao empresário Renato Fernandes Soares, a Expresso Brasileiro já foi sócia da Viação Padroeira do Brasil, que atuava na região do ABC.

Em setembro de 1998 a Expresso Brasileiro começou a atuar no transporte municipal da cidade de Guarulhos ao comprar de uma vez só as viações Tupã e Icaraí e com isso ela fundiu as duas empresas e formou a Viação Transguarulhense e que usava uma pintura parecida com a da Expresso Brasileiro, em dezembro de 2003 a Expresso Brasileiro vendeu a Viação Transguarulhense ao Grupo Belarmino.

Abaixo segue algumas fotos antigas:


A inauguração da Via Anchieta também marcou a criação da primeira linha de ônibus modernos no Brasil. Para comemorar a abertura da rodovia, a Expresso Brasileiro (fundada em 1942 e a então principal empresa rodoviária do Brasil) adquiriu vários ônibus General Motors PD-2903, com motor traseiro, conjunto único chassi-carroceria, bagageiro interno e poltronas confortáveis, sendo estes os primeiros ônibus legítimos do Brasil. Antes deles, ônibus rodoviário era uma jardineira, ou seja, caminhão adaptado com bagageiro externo e bancos estofados sem conforto.


Flxible da Expresso Brasileiro, o trunfo da empresa para concorrer com a Cometa. A história da importação do modelo, no entanto, é polêmica. Os ônibus ficaram mais de dois anos retidos na alfândega e muitos comentaram que não era por problemas de importação e sim pela influência política e econômica das concorrentes.





MARCOPOLO VIAGGIO GV-1000 SANTOS-SP, 07/02/2004



Monobloco Mercedes Benz O 364 da Expresso Brasileiro. Modelo se destacou na ligação entre São Paulo – ABC e Litoral Sul Paulista. A empresa predominou nos serviços mas em 2009 uma surpresa ocorre: Expresso vende suas linhas litorâneas de São Paulo para a concorrente Cometa, que já pertencia a outro grupo



O famoso comanche na antiga Rodoviária Julio Prestes



Um modelo Nielson Diplomata, na linha Rio-SP na década de 70



E os atuais G7 Paradiso 1200 da Marcopolo.

Fotos: Brasil Engenharia
           Ônibus Brasil
           Leonardo Vieira - Ônibus.com.br
           Ponto de ônibus
          Ponto de ônibus (Comanche)
          Rodrigo Mattar - Warm up
          SkycraperCity
          Bus ABC - Desenho

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Viação Cacique - Linhas Municipais

Fundada em 1966 pela família Setti Braga, a Viação Cacique operava somente linhas municipais de São Bernardo do Campo. Começou com uma linha que ligava o bairro Baeta Neves, até então longínquo e com ruas de terra, a Vila São José (hoje a linha 21). Com o tempo eram criadas linhas ligando locais em desenvolvimento e bairros mais afastados do centro. Outras linhas operadas por ela eram Jardim Represa/Jardim Farina (hoje linha 19), Jardim Farina/ Selecta (hoje linha 24) entre outras. Parou de operar em 1989 com a municipalização do transporte público e criação da ETCSBC.

Abaixo algumas fotos:






Há outra foto mais antiga neste link aqui.


Fontes: Bus ABC,
            Ônibus Brasil,
            Blog Ponto de ônibus

sábado, 19 de abril de 2014

Corredor Metropolitano São Mateus - Jabaquara - Fotos da época da construção.

Também conhecido como Corredor Metropolitano ABD, o corredor de trólebus que no ínicio ia de São Mateus à Diadema, posteriormente indo até o Jabaquara e recentemente até o Bairro do Brooklin(Berrini).

A EMTU começou a operação do Corredor Metropolitano São Mateus - Jabaquara em dezembro de 1988, no trecho entre o Terminal Ferrazópolis e Terminal São Mateus. O trecho restante foi inaugurado em 1990. A partir deste momento, começou a atender importantes cidades da região do ABC Paulista (Diadema, São Bernardo do Campo, Santo André e Mauá), em São Paulo. 

Em 21 de maio de 1997 a EMTU-SP fez a primeira concessão no transporte público do país, com a transferência oficial da operação do Corredor Metropolitano São Mateus - Jabaquara, para a Concessionária Metra, por 20 anos. A Metra também ficou responsável pela manutenção e conservação da infra-estrutura e do sistema viário. Contratos mais longos, permitiram maiores investimentos da Concessionárias no sistema, com a aquisição de novos equipamentos (veículos articulados com ar-condicionado) e a recuperação e manutenção dos terminais e pavimento rígido.


Dados operacionais
Extensão: 33km
Extensão eletrificada: 33km
Passageiros: 210 mil/dia
Frota: 185 veículos
Linhas: 13
Terminais: 9
Pontos de Parada: 111
Abaixo segue fotos da época da construção do corredor em 1987 em São Bernardo do Campo.




As duas fotos acima são do Terminal São Bernardo, no Paço Municipal. A primeira é uma vista aérea do terminal em construção, com o trânsito para quem vinha da Lucas Nogueira Garcez e tinha que ir a Santo André desviado do 1° retorno (ao lado de onde é hoje a sede da GCM) para onde fica a Rodoviária. Aliás a antiga Rodoviária só com a cobertura central e entradas dos ônibus (baías) com pavimento de paralelepípedo.
Outra curiosidade é o terreno vazio ao lado do Edifício Senador, onde hoje fica a agência do Itaú.

 
A outra é da Faria Lina já com o corredor mas com o terminal em construção. Outra curisidade é a rRua Santa Filomena que termina pouco depois da Travessa Marechal Deodoro sem saída a Rua Leonardo Locosselli



Aqui a construção do Terminal Ferrazópolis, local onde ficava a fábrica de discos Odeon. Antigamente um grande terreno vazio. Outra curiosidade é que a Avenida Brigadeiro Faria Lima, neste trecho, tinha mão única para Anchieta, Silvina e Avenida Rotary. Quem ia sentido Centro, vindo destes locais, tinham que acessar a Rua Marechal Deodoro até a Rua João Basso (essa tinha sentido Faria Lima, diferente de hoje) e depois acesso a Faria Lima. Depois da construção do terminal é que a Faria Lima ganhou duas mão neste trecho.


A foto acima é da Parada Cecom, garagem dos trolebus da Metra, com o acesso próximo aonde hoje é os atacadistas Assai e Atacadão. Dá para ver um ônibus da Viação Santo Ignácio, nas cores branca e vermelha, que faziam a atual linha 37 Jordanópolis/Vila São José.
Mais em breve.

Fotos: Bus ABC
Texto em itálico: Wikipedia

Postagens mais antigas

All Rights Reserved.

Traduzido Por: MaisTemplate - Designed: BloggerMotion

Top